A Vitimização das Pessoas.

18 jan

Poderia escrever esse texto levando em consideração a sociedade em geral, afinal é assim que nosso meio social vive hoje, num conglomerado de vitimizações. Mas não é esse meu objetivo, mesmo porque pra mudar um todo precisamos primeiro mudar cada peça dele, por isso vou falar de pessoas e não de um grupo! (mas fiquem a vontade para interpretar da forma que quiserem).

Para começar vou explicar o que quero dizer com “vitimização das pessoas”, são aquelas pessoas que preferem se fazer de vítimas de todas as situações ao invés de aprender ou ao menos escutar o que o outro tem a dizer. Para essas pessoas o mundo todo está contra elas, os sentimentos delas são sempre mais importantes, todas as atitudes que elas tomam estão corretas e devem ser aceitas pelos os outros,  elas sempre querem atenção e querem ser aplaudidas por todos os seus atos, escondem seus defeitos na opinião dos outros, afinal o outros sempre estão errados.

Essas pessoas deixaram de assumir a responsabilidade pela sua própria vida, a culpa é sempre do amigo, do namorado, do familiar, do governo, do chefe, do trabalho, da crise e de outras milhões de desculpas. Elas não escutam mais a opinião de quem está a sua volta, o importante é sempre ter razão, deixando de aproveitar a experiência mais maravilhosa e sagrada da vida que é a troca. Não existe a humildade.

Elas também têm o costume de achar que tudo do outro é melhor (mesmo não assumindo isso). É comum dizerem coisas do tipo “você viu fulano? tá viajando de novo. Não sei de onde tira dinheiro”,  a vida do outro é sempre mais privilegiada que a dela. Mas não vê o tanto que o outro batalhou pra construir tudo que tem (coloquei o exemplo no aspecto financeiro, mas ele pode ser em qualquer aspecto da vida).

E tem um fator muito forte que vem agravando ainda mais as vitimizações, que são as redes sociais, aaahhh o bendito (mais maldito do que bendito) Facebook. Lugar de gente feliz (que é infeliz), gente rica (que não tem onde cair morta), gente culta (que não sabe nem o que é um livro direito), gente cheia de opinião e de verdades absolutas (mas que se quer pesquisaram sobre o que estão falando). Existem muitas vitimas do mundo atras das telinhas dos computadores, smartphones e gadgets.

Ai nesse momento você deve estar pensando “até parece que você nunca reclamou de nada da vida, nunca falou mal de alguém ou culpou alguma situação da sua vida pela sua infelicidade” e eu te respondo: – Faço isso a todo momento. Todos nós nos fazemos de vítimas em algum momento da vida, mas acredito que estamos aqui nesse mundo pra evoluir. Não é porque erramos hoje, que precisamos errar amanhã também.

E se você leu esse texto e se identificou pelo menos um pouquinho com o que está escrito aqui, pare pra refletir e comece a assumir a responsabilidade pela sua vida. Não é fácil meus amigos. Se precisar peça ajuda. Peça ajuda para um amigo, um familiar, um terapeuta, um padre, um pastor, um Deus, uma entidade qualquer coisa que faça melhorar sua visão interior. Claro sem tirar da mente que o interior é seu, o outro não conseguirá te ajudar se não estiver disposto a mudar sua vida pra melhor! Sem vitimizações. Responsável pela sua felicidade e não pela falta dela! 😀

 

Não sei o que as pessoas tem na cabeça

22 jul

Imagino que desde o começo da humanidade o maior desafio que ser humano encontrou até agora é o de lidar uns com os outros. A dificuldade de entender que as pessoas são diferentes as vezes se torna enlouquecedora, pior ainda é tentar encontrar quem está certo ou errado, afinal, como dizem por ai, todo ser humano é falho.

Afim de solucionar esse problema vieram a ética, as leis, as regras que por uma ironia foram criadas por quem? Isso mesmo, seres humanos! E se você que está lendo esse texto acha que vou tirar alguma constatação dessa frase está muito enganado. Eu sei tanto quanto você ou até menos quando o assunto é lidar com pessoas. Mas tem alguns pontos nos quais eu gostaria de destacar e questionar.

O primeiro deles é o relacionamento (de qualquer tipo). Eu até concordo com a frase “ninguém é obrigado a gostar de ninguém”, mas em algumas situações percebo que muitas pessoas não fazem questão de ao menos tentar gostar. Quem concorda com o dito “A primeira impressão é a que fica” é porque nunca se permitiu ser surpreendido pela segunda, e vou te contar que ela pode ser maravilhosa!

A segunda é a humildade. Quando vamos perceber que escutar é muito mais valioso do que afirmar? Você que pensa que é dono da verdade, que tal abrir um pouco seu coração para entender o lado do outro? É difícil eu sei disso, as vezes parece quase impossível mas tudo fica tão mais alegre quando conseguimos.

A terceira é a tal da personalidade. Ahhhhhh… essa é a mais difícil. Como saber lidar com cada uma delas? Umas tão diferentes das outras, elas podem ser parecidas mas nenhuma é igual. E elas são tantas que as vezes chega a dar um certo pane, desliga tudo e a única coisa que você consegue pensar é “E AGORA?”. Nunca aconteceu isso com você? Porque comigo já aconteceram várias vezes.

Será que alguém tem a fórmula de como lidar com as pessoas?

Alguém ai?

Pedaços Perdidos

15 dez

Na verdade acho que pedras gigantes foram deixadas no meio do caminho. 

Sabe aquele momento que você sente saudades de coisas que não viveu, mas sonhou tanto com isso que parece ter vivido inúmeras vezes? Não viveu, mas podia ter vivido.

Começo a lembrar da tarde no parque onde nada nem ninguém me desconcentrava do brilho dos seus olhos, ou do dia em que chegou de surpresa na minha casa com uma flor roubada do jardim, ou então aquele fim de semana no campo que riamos sem saber o motivo. Sem contar a noite na lareira onde deitamos no tapete e dormimos abraçados sem querer, aquecidos pelo fogo e pelo vinho. Não posso me esquecer daquela noite em que rodamos toda a cidade de carro, sem rumo, deixando a intuição nos levar e rindo de todos os imprevistos que apareciam. Me lembro, também, daquele dia que me ligou de madrugada dizendo que estava na frente do meu portão e quando eu sai brava, com sono e cara amassada me deparei com uma linda serenata meio desajeitada e mal ensaiada mas com aquele seu jeitinho peculiar de me convencer que o nosso amor basta. Sem contar os inúmeros Eu te amo ditos com tanta facilidade por você que muitas vezes soavam um pouco comum.

O por-do-sol na praia, o bar com seus amigos, aquela peça de teatro, o jantar a luz de velas, as declarações diante da lua, as mensagens no meio do dia, as confissões de infância, as aflições nas noites tenebrosas, o apoio nos momentos de dificuldades, as risadas sem motivos e todas as inúmeras coias que não vivemos, mas podíamos ter vivido.

Aaaah, como eu queria ter vivido.

Image

Talvez

29 jul

Em um certo momento da vida você decide escolher entre um sim e um talvez. Ou melhor, um nem sempre e um quem sabe. Sinceramente eu já cansei! sempre cobrada por motivos pouco óbvios. Quem garante que o futuro irá chegar ou que viver o presente sempre é a melhor escolha ou pior: que viver de passado é burrice. Não se importar com a imagem, com o que os outros vão pensar, ser você mesma. Quanta hipocrisia! Afinal, quem sobrevive sozinho? Personalidade? Quem faz a sua?
Pena que não valeu a pena? Ou valeu, quem disse que o fim deve ser de fato o recomeço? Se um sim pode se tornar um quase nunca, um talvez também pode se tornar um inevitavelmente sempre!
Por incrível que pareça é praticamente impossível escolher entre a certeza do fracasso e a dúvida da felicidade. Afinal, uma certeza quase nunca traz surpresas já a dúvida pode trazer inúmeros desconfortos muitas vezes reconfortantes.
Afinal, o que mexe com você pode ser totalmente invisível aos olhos dos que te rodeiam. Sabe aquele momento que você se sente um peixe fora d’água? Pois então, nada fora da normalidade.

20120729-173618.jpg